Refluxo platônico

Sutileza, onde o escasso se venera

Encontra a morte austera

Constipando o insolúvel

Na clareza que se espera

 

Se afoito se condensa

O escárnio traz a ausência

Glorifica o enclaustro

Devaneia sua presença

 

A fluidez é tão ávida, sincera

Escorre, percorre, discorre, ocorre

Nasce, planeia, esquadra-te singela

 

Roubei-te de mim, e trovei

Emerge, triunfa o casto

Teço o retalho do manto que rasguei

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: