O Fim

Anseio,  destoando sem cor em um espaço de couraça alegórica
Letárgico, as cores vibram e se perdem, pois é calha do que é onírico
(…) é amigo…  o estorvo sempre se consagra

Um quiproquó em prelúdio expirado
Inspira, respira, enche os olhos de quem outrora seguiu o sagrado
Profanar o empírico jamais, no mais, seja menos

É pena, mas voa e volta
Pra ser entoado em júbilos
E baldar à baldes
Quem prostra em sua emposta

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: